terça-feira, 12 de junho de 2012

Dancem Macacos, Dancem!


"Há bilhões de galáxias no universo observável, e cada uma delas contém centenas de bilhões de estrelas. Em uma dessas galáxias, orbitando uma dessas estrelas, há um pequeno planeta azul e este planeta é governado por um bando de macacos. Mas esses macacos não pensam em si mesmos como macacos, eles nem sequer pensam em si mesmos como animais. De fato, eles adoram listar todas as coisas que eles pensam separá-los dos animais: polegares opositores, autoconsciência, eles usam palavras como Homo Erectus e Australopithecus. Você diz to-ma-te, eu digo to-ma-ti. Eles são animais, certo?
Eles são macacos, macacos com tecnologia de fibra ótica digital de alta velocidade mas, ainda sim são macacos. Quero dizer, eles são espertos, você tem que conceder isso. As pirâmides, os arranha-céus, os jatos, a Grande Muralha da China, isso tudo é muito impressionante... para um bando de macacos. Macacos cujos cérebros evoluíram para um tamanho tão ingovernável que agora é bastante impossível para eles ficarem felizes por muito tempo. Na verdade, eles são os únicos animais que pensam que deveriam ser felizes, todos os outros animais podem simplesmente ser.
Mas não é tão simples para os macacos, pois os macacos são amaldiçoados com a consciência e assim os macacos tem medo, os macacos se preocupam, os macacos se preocupam com tudo mas, assima de tudo, com o que todos os outros macacos pensam porque os macacos querem desesperadamente se encaixar com os outros macacos, o que é bem difícil, porque a maior parte dos macacos se odeiam. Isto é o que realmente os separa dos outros animais. Estes macacos odeiam. Eles odeiam macacos que são diferentes, macacos de lugares diferentes, macacos de cores diferentes.
Sabe, os macacos se sentem sozinhos.... todos os seis bilhões deles. Alguns dos macacos pagam outros macacos para ouvir seus problemas. Os macacos querem respostas. Os macacos sabem que vão morrer, então os macacos fazem deuses e os adoram e aí os macacos começam a discutir quem fez o deus melhor. E os macacos ficam irritados, e é quando geralmente os macacos decidem que é uma boa hora de começar a matar uns aos outros, então os macacos fazem guerra, os macacos fazem bombas de hidrogênio, os macacos tem o planeta inteiro preparado para explodir. Os macacos não sabem o que fazem. Alguns dos macacos tocam para um multidão vendida de outros macacos, os macacos fazem troféus e então eles os dão para si mesmos como se isto significasse algo. Alguns macacos acham que sabem de tudo, alguns dos macacos lêem Nietzsche. Os macacos discutem Nietzsche sem dar qualquer consideração ao fato de que Nietzsche era só um macaco.
Os macacos fazem planos. Os macacos se apaixonam. Os macacos fazem sexo e então fazem mais macacos. Os macacos fazem música e então os macacos dançam.
- Dancem macacos, dancem!
Os macacos fazem muito barulho. Os macacos tem tanto potencial, se eles pelo menos se dedicassem... Os macacos raspam o pêlo de seus corpos numa ostensiva negação de sua verdadeira natureza de macaco. Os macacos constroem grandes colméias de macacos que eles chamam de "cidades". Os macacos desenham um monte de linhas imaginárias na terra. Os macacos estão ficando sem petróleo, que alimenta sua precária civilização. Os macacos estão poluindo e saqueando seu planeta como se não houvesse amanhã. Os macacos gostam de fingir que está tudo bem. Alguns dos macacos realmente acreditam que o universo inteiro foi feito para seu benefício.
Como vocês podem ver, esses são uns macacos atrapalhados. Estes macacos são ao mesmo tempo as mais feias e mais belas criaturas do planeta. E os macacos não querem ser macacos, eles querem ser outro coisa, mas não são."

Assim que assisti o curta "Dancem, Macacos, Dancem!" achei muito genial. Fiquei pensando em quem tinha escrevido e achei que fosse o Douglas Adams, escritor do tão famoso livro "geek" "O Guia do Mochileiro das Galáxias" (quem conhece, se forem ver o vídeo talvez concorde que lembra muito; se não, pelo menos eu acho demais). Enfim, fiquei crendo de que o autor fosse mesmo o Douglas Adams, e decidi postar no blog. Mas antes pesquisei para confirmar e fiquei surpresa pois o verdadeiro autor se chama Ernest Cline, que é bem famoso no cenário geek também. Bom, adoro O Senhor dos Aneis e as obras de J. R. R Tolkien, amei o filme De Volta Para o Futuro,  mas isso não me torna uma nerd ─ e nem me considero uma ─ então acho que estou perdoada em afirmar que nunca ouvi falar desse rapaz... Porém, por essa criação de Ernest Cline, eu o admiro. Ele soube passar a informação de uma forma bem humorada, fazendo muitas pessoas (creio) parar para pensar sobre o que realmente são.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails